Em 26% dos casos, diretores financeiros decidem investimentos de TI - Asplan Sistemas

Em 26% dos casos, diretores financeiros decidem investimentos de TI


No caso dos CIOs, índice não passa de 5%.

A influência do diretor
financeiro (CFO) nas áreas de TI está crescendo: sozinhos eles
autorizaram 26% de todos os investimentos de TI das empresas, enquanto
os CIOs deram a última palavra em apenas 5%. Os dados fazem parte de um
estudo recente da Gartner. A pesquisa também mostrou que 42% das
organizações de TI se reportam diretamente ao CFO e 33% ao CEO.

A
pesquisa está em seu terceiro ano e reúne as percepções dos executivos
financeiros sobre tecnologia, as principais tendências e melhorias
planejadas para operações. O estudo, conduzido entre outubro de 2010 e
janeiro de 2011, incluiu 344 entrevistados, qualificados numa
perspectiva sobre a implantação da tecnologia dentro da empresa.

Os
resultados da pesquisa variam conforme o tamanho da empresa: entre as
que tem menos de US$ 50 milhões em receita, 47% dos departamentos de TI
se reportam ao CFO; no caso das empresas com faturamento maior que US$
50 milhões e menor que US$ 250 milhões, 55% tem departamentos de TI que
prestam contas ao CFO; empresas com mais de US$ 1 bilhão em receita
prestam contas ao CFO em 46% dos casos.

A pesquisa também mostrou
que os altos executivos financeiros esperam que os gastos com TI
cresçam de forma conservadora em 2011, com 38% dos entrevistados
afirmando não esperar atingir o nível anterior a recessão, em 2008.
Quarenta por cento vêem o nível de crescimento compatível com 2010 e
apenas 6% esperam que a economia se recupere este ano além dos níveis de
2008.

Em relação aos investimentos, 72% das empresas disseram
que farão aplicações baseados na vantagem competitiva impulsionada pela
tecnologia. Business Intelligence (BI) é a iniciativa tecnológica de
ponta a partir da perspectiva do executivo financeiro sênior. Para 65%,
BI é classificada como a tecnologia de maior demanda, enquanto 46%
avaliam que suas prioridades são aplicações de negócios, tais como
planejamento de recursos empresariais (ERP) e soluções integradas de
gestão financeira. Dentro do escopo maior de infraestrutura de
operações, no entanto, aplicações de negócio (30%) são consideradas mais
importantes do que BI (23%), sendo todas perspectivas para 2011.

De
todas as organizações ouvidas, 31% disseram que a TI tem capacidade de
mover a empresa adiante. No entanto, apenas 30% disseram que ela
realmente cumpre sua missão, o que significa que 70% não acreditam que a
TI traz benefícios para o negócio. Além disso, apenas 32% dos CFOs
disseram ver o CIO como parceiro estratégico.

Fonte: http://www.erpnews.com.br/v2/ERP-Curtas/2348.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *