Lei reduz imposto para contratar programador - Asplan Sistemas

Lei reduz imposto para contratar programador


Antonio Gil, presidente da Brasscom, diz que os encargos sobre a
folha de pagamento tornam a mão de obra brasileira uma das mais caras do
mundo.

São Paulo – Uma nova regra apresentada pelo governo federal no
início do mês pretende reduzir os impostos de quatro setores que
contratam funcionários em regime CLT. O plano promete aumentar a
formalidade e deixar o setor de TI mais competitivo. O plano Brasil Maior atende reivindicações de companhias que dizem concentrar mais de 70% dos custos somente com folha de salários.

Até
dezembro de 2012, alguns setores podem gastar menos para manter
profissionais com carteira assinada. O projeto pretende desonerar a
carga tributária sobre a folha de pagamento de empresas na área
calçadista, têxtil, de móveis e de software. Esta medida entra em vigor
dentro de 90 dias e valerá até dezembro de 2012. Segundo Nelson Barbosa,
secretário-executivo do Ministério da Fazenda, a desoneração para os
quatro setores funcionará como um projeto-piloto.

O Plano Brasil Maior, anunciado no dia 02 de agosto pela presidenta
Dilma Rousseff, isentará a alíquota de INSS em troca de uma contribuição
de 2,5% sobre o faturamento das empresas. Em entrevista ao INFO Online,
Antonio Carlos Rego Gil, presidente da Brasscom
(Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e
Comunicação), os profissionais e empresas da área de TI esperam desde
sempre receber incentivos e tornar o setor competitivo.

Após
a apresentação do plano, pode haver um aumento na formalidade de
profissionais da área de TI. Se isso acontecer, haverá maior arrecadação
de imposto de renda. “O plano barateia a contratação da mão de obra das
empresas, que representa 70% dos custos na área de TI. Os encargos
sobre a folha de pagamento tornam a mão de obra brasileira uma das mais
caras do mundo”, diz Gil.

Ainda segundo o presidente da
associação, o alto custo para a contratação inviabiliza tornar o Brasil
um pólo de exportação de TI e também afeta a produtividade. Diante deste
cenário, algumas empresas contratam profissionais fora do regime CLT.

“Cerca
de 50% da força de trabalho de TI no Brasil carrega algum grau
informalidade. As empresas contratam profissionais com registro de PJ e
também regimes flex de contratação”, comenta o presidente da associação.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/ti/presidente-da-brasscom-fala-do-brasil-maior-09082011-39.shl

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *