Nokia e Microsoft cortejam desenvolvedores no Brasil - Asplan Sistemas

Nokia e Microsoft cortejam desenvolvedores no Brasil

Um auditório com 300 cadeiras ficou repleto de desenvolvedores na
última sexta-feira (23), em São Paulo, curiosos para ouvir as primeiras
palavras dos executivos da Nokia após a chegada dos primeiros smartphones da empresa com Windows Phone no Brasil.
O Lumia 710 e o Lumia 800, dois dos quatro aparelhos da Nokia com o
sistema da Microsoft, começaram a ser vendidos no Brasil apenas um dia
antes.

Almir Narcizo, presidente da Nokia no Brasil, fez questão de
comparecer ao Nokia Developer Day, numa tentativa de atrair
desenvolvedores de outras plataformas, como iOS (Apple) e Android
(Google), para o “time” do Windows Phone. “Esta semana é a mais
importante para a Nokia em toda a sua história no Brasil. Queremos
voltar à liderança em smartphones e precisamos muito de vocês”, disse
Narcizo, em um apelo aos desenvolvedores na abertura do evento.

Apesar de estar começando sua jornada com Windows Phone no Brasil, a
Nokia já tem um longo histórico de relacionamento com os desenvolvedores
da região, que criam aplicativos na linguagem Qt, que serve aparelhos
com o sistema operacional Symbian e MeeGo.

Contudo, a plataforma evoluiu numa velocidade inferior a dos
concorrentes, o que tirou a Nokia da liderança do mercado. “Meus amigos
estão pedindo smartphones Lumia para mim. Eu não ouvia isso há muitos
anos na Nokia”, disse Narcizo.

Um ecossistema em construção

Para retomar o mercado, a Nokia já investiu no hardware dos
aparelhos, que tem uma proposta diferente de design, e no sistema
operacional, por meio da parceria com a Microsoft anunciada há um ano.
Com o evento para desenvolvedores, no entanto, a Nokia começa a sua
terceira batalha: ajudar a Microsoft a atrair mais desenvolvedores para o
Windows Phone, que hoje conta com 70 mil aplicativos.

O número soa grande, mas ainda é pequeno perto das lojas de
aplicativos dos principais rivais. O iPhone já têm quase 600 mil
aplicativos disponíveis, enquanto o Android já passa dos 450 mil. “A
guerra no mercado de smartphones é de ecossistemas”, disse Narcizo. “O
número de aplicativos é fundamental para os consumidores.”

Para atrair os desenvolvedores, a Nokia e Microsoft oferecem suporte
local, algo desconhecido para a maior parte deles. Geralmente, os
desenvolvedores buscam a documentação sobre uma determinada plataforma
na web. Como alternativa, a Nokia e a Microsoft propõem treinamentos e
suporte em português para tirar dúvidas sobre o Windows Phone, desde a
parte técnica até sobre como ganhar dinheiro com o aplicativo.

A possibilidade de ganhar dinheiro com aplicativos atraiu Marcos
Valério Perboni, estudante da Pontifícia Universidade Católica de São
Paulo (PUC-SP), para o evento da Nokia. Atualmente, ele desenvolve
aplicativos apenas na linguagem Java. “Há um mês ganhei um curso da
Nokia na minha universidade e me interessei em estudar a plataforma
Windows Phone”, diz Perboni.

Cursos

O curso oferecido na PUC-SP faz parte de uma série de eventos em
universidades de todo o País, que ocorrem desde setembro de 2011. As
palestras são ministradas por pesquisadores do Instituto Nokia de
Tecnologia (INDT), que fica em Manaus (AM). Todo ano, a Nokia investe
cerca de US$ 70 milhões no centro de pesquisa e parte deste dinheiro
está sendo direcionada para disseminar o Windows Phone entre os
desenvolvedores no Brasil.

Segundo Daniel Rocha, gerente de ecossistema e serviços da Nokia, a
empresa possui 18 pesquisadores focados na plataforma da Microsoft no
INDT. Além dos cursos, eles oferecem suporte aos desenvolvedores sobre o
Windows Phone. “Muitos desenvolvedores da plataforma Windows se
interessaram e, em muitos casos, estamos tendo que limitar o número de
inscrições para o evento”, disse Rocha, ao iG. Só no evento de sexta, o número de inscrições chegou a 500, mas só havia 300 vagas.

Ajuda online é mais eficiente

Apesar da demanda de inscrições, nem todos os desenvolvedores veem o
suporte local da Nokia como diferencial em relação ao iOS e ao Android.
Para Guilherme Andrade, desenvolvedor há quatro anos, os profissionais
desta área estão acostumados a trabalhar sozinhos e, em caso de dúvidas
sobre como funciona o sistema operacional ou as interfaces de
programação de aplicativos (APIs), buscam ajuda em fóruns. “A gente
entra na web e sempre acha a resposta de alguém que já passou por aquela
situação, então o suporte do fabricante não é fundamental”, diz
Andrade.

Para João Vitor Molinari, desenvolvedor para iOS há um ano, o suporte
mais importante que a Nokia pode dar é no marketing dos aplicativos
locais. Durante o evento, a empresa apresentou o aplicativo Nokia App
Highlights, em que ela destacará aplicativos locais interessantes. Um
funcionário da Nokia será o curador responsável por escolher os
aplicativos que oferecem conteúdo local entre os 70 mil disponíveis no
Windows Marketplace. “Nas outras plataformas temos muitos concorrentes e
perdemos tempo promovendo o aplicativo em blogs para gerar mais
downloads”, diz Molinari.

Fonte: http://tecnologia.ig.com.br/nokia-e-microsoft-cortejam-desenvolvedores-no-brasil/n1597708948173.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *