Smartphone no trabalho pode ser prejudicial


Estudo aponta que 90% dos usuários do aparelho BlackBerry de uma empresa americana admitem sentir algum tipo de compulsão

São Paulo – Os smartphones, telefones celulares que dão acesso a internet e e-mail, são cada vez mais comuns no dia a dia do brasileiro. De um ano para cá, a venda desses aparelhos teve aumento de 279% no mercado nacional. No trabalho, ele é considerado uma importante ferramenta, que permite a conexão remota com o escritório, clientes e fornecedores.

Por outro lado, significa, dependendo da forma como a pessoa o utiliza, estar disponível para o chefe durante 24 horas nos sete dias da semana. Nos Estados Unidos, criou-se um neologismo para descrever o comportamento de usuários que não conseguem viver sem o aparelho. Eles são chamados de CrackBerries, uma referência aos usuários de BlackBerry que se comportam com a mesma compulsão que os viciados em crack.

Um estudo da escola de negócios do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT, aponta que 90% dos usuários do aparelho BlackBerry de uma empresa americana admitem sentir algum tipo de compulsão.

O estudo considera o BlackBerry, mas as conclusões da pesquisa valem para toda a linha de smartphones, iPhone inclusive. Para os responsáveis pelo estudo, o resultado mostra um gradual atropelamento das fronteiras entre tempo de trabalho e tempo pessoal. Por trás do comportamento compulsivo há também um componente de imagem profissional.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/carreira/smartphone-no-trabalho-pode-ser-prejudicial-13062011-9.shl

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *