TI nacional: gargalo da capacitação profissional ameaça crescimento - Asplan Sistemas

TI nacional: gargalo da capacitação profissional ameaça crescimento

TI brasileira deve crescer pelo menos 10% ao ano até 2014. Na
opinião de especialistas, o ERP ainda tem potencial de crescimento,
principalmente quando acoplado a soluções complementares como CRM e BI. A
Governança de TI também se destaca nesse cen …

Com ou sem crise na Europa e nos Estados
Unidos, a TI brasileira deve crescer pelo menos 10% ao ano até 2014. Na
opinião de especialistas, o ERP ainda tem potencial de crescimento,
principalmente quando acoplado a soluções complementares como CRM e BI.
A Governança de TI também se destaca nesse cenário. Mas, se a
perspectiva é favorável por um lado, por outro inspira cuidados. A
falta de bons profissionais de TI pode significar um banho de água fria
nesse mercado aquecido.

Na opinião de Enio Ciappa, consultor e
gerente de projetos da Unione, a governança de TI, que é um conjunto
de ações estruturadas pelos gestores, orientadas às melhores práticas
de mercado (Cobit, Itil), é tanto mais eficiente quanto mais
capacitados estiverem todos os profissionais envolvidos no projeto – de
executor ao idealizador, passando pela cúpula decisória. O objetivo é
alinhar a tecnologia com a estratégia de crescimento da empresa –
minimizando riscos, ampliando o desempenho, reduzindo custos e dando
suporte às principais decisões.

“Resumindo: é preciso garantir
que a informação desejada esteja disponível no momento certo, para a
pessoa certa. As empresas que quiserem ‘surfar nessa onda’, em que
inclusive a terceirização de serviços (outsourcing) está crescendo 30%
mais que as demais modalidades, terão não só de contratar os melhores
profissionais do mercado, como desenvolver técnicas de aperfeiçoamento
profissional voltadas para seu próprio negócio”, diz.

Ciappa
também defende a abertura de novos cursos, altamente qualificados, para
garantir que a formação desses profissionais seja consistente e
regulamentada. “Esse cenário de expansão pode ser comprometido pela
falta de mão de obra qualificada. Por isso, é imperativo que as
soluções venham de fora e de dentro das empresas, num esforço conjunto
para atrair melhores cabeças e capacitá-las para atuar numa indústria
em ascensão. Trata-se de uma solução ganha-ganha, dado que esses
profissionais só têm a ganhar, assim como as empresas e o país como um
todo”.

Fonte: http://www.erpnews.com.br/v2/vivvo_general/2548.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *